FUNDAÇÃO

Por volta de 1976, Francisco Cavalcanti Pontes de Miranda, considerado o maior jurista de todos os tempos, organizou, juntamente com outras autoridades e personalidades da época, a fundação da primeira Câmara de Comércio Exterior Estadual no Brasil no dia 20 de janeiro de 1977, data do padroeiro da cidade do Rio de Janeiro.

 

Participaram da fundação, Temístocles Brandão Cavalcanti, Primeiro Ministro do Superior Tribunal Federal, Pedro Camargo de Azevedo, Deputado Estadual do Rio Grande do Sul, Sady Magalhães Monteiro, ex-combatente da FAB e Mario Guilhermelli Scangarelli, ex-secretário da Saúde do Rio Grande do Sul.

 

Nosso primeiro presidente foi o Dr. Francisco Cavalcanti Pontes de Miranda e com o seu falecimento em dezembro de 1979 o cargo fora assumido pelo Prof. Temístocles Brandão Cavalcanti.

A CÂMARA DE COMÉRCIO DO RIO

CAERJ há mais de 40 anos na defesa do Rio de Janeiro:

  • Associação empresarial patronal do setor de serviços em Comércio Exterior, constituída por empresas dos setores industrial e de serviços, com atuação na assistência e defesa dos interesses dos associados;

  • Criando ferramentas e oportunidades para o desenvolvimento econômico e sustentável do Rio de Janeiro;

  • Aproximando o Rio de Janeiro e o Brasil com o mundo.

  • Desenvolvendo parcerias estratégicas com as três esferas de governo, Representações Diplomáticas e Câmaras de Comércio estrangeiras para networking;

  • Desenvolvendo parcerias estratégicas com governos estrangeiros;

  • Liderando conselhos empresariais dos principais setores da economia.

 

A Câmara de Comércio e Indústria do Estado do Rio de Janeiro – CAERJ é constituída por diversas empresas, empresários, executivos e personalidades de todos os setores da economia e que participam de forma voluntária da instituição.

 

A instituição dedica-se exclusivamente para promover o Comércio Exterior fluminense e brasileiro, tornando-se uma Câmara multisetorial e multilateral que representa e expressa sua opinião de forma independente.

 

Transmitir às autoridades governamentais as opiniões e dados econômicos e estatísticos sobre as questões da economia nacional e mundial.

 

Incentivar a participação de lideres empresariais, governamentais e especialistas nos fóruns de discussão promovidos pela CAERJ.

Missão

Buscar oportunidades para empresas do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil, fomentando a criação de um ambiente de negócios para promover o fortalecimento e o desenvolvimento sustentável do comércio de bens, da indústria e serviços, para atuação competitiva no mercado internacional.

Visão

Ser Líder no estabelecimento de pontes para a Classe Empresarial como caminho para inserção e expansão de negócios nos mercados locais, nacionais e internacionais, sob o prisma do desenvolvimento socioambiental, com inovação, qualidade e sustentabilidade.

DIRETORIA 2019-2023

O corpo executivo da CAERJ conta com empresários, executivos e personalidades com participação ativa no planejamento e coordenação das atividades executivas pela atual gestão.

ASSEMBLEIA GERAL DE FUNDADORES (1977/2023)

DIRETORIA GERAL (2019/2023)

 

Diretor Presidente: RICARDO MOTA DA COSTA

Diretor Vice-Presidente: LINDALIA SOFIA JUNQUEIRA REIS

Secretária Geral: EM NOMEAÇÃO

Assistente da Secretaria Geral: MARCELLY FELIX

Gerente Administrativa e Tesoureira: NATHALIA XAVIER

DIRETORIA EXECUTIVA (2019/2023)

 

Diretor Executivo: MARIO SCANGARELLI
Assistente Administrativa e Financeira: CARINA MELLO
Diretor de Comércio Exterior e Certificações: ARNO GLEISNER
Gerente de Comércio Exterior e Certificações: CLAUDIA PESSOA
Analista de Comércio Exterior e Certificações: JOSÉ ROBERTO MACIEL
Diretor Comercial e Marketing: LEONARDO RIBEIRO
Diretor de Negócios Internacionais: JOHN CHARLES CUTTINO
Diretor de Logística e Transporte: JOVELINO DE GOMES FILHO
Diretor de Assuntos Econômicos: EM NOMEAÇÃO
Diretor de Relações Públicas e Eventos: CLAUDIO MACEDO
Diretor de Tecnologia da Informação e Pesquisas Científicas: EDILBERTO STRAUSS
Diretora de Recursos Humanos: MONICA ROMERO
Diretor de Assuntos Jurídicos: LUCIANO CALDAS
Assessor Jurídico: RAPHAEL TRINDADE
Recepcionista e Atendimento: ANA JESSICA DOS SANTOS

PRESIDENTE.jpg

MENSAGEM

DO PRESIDENTE

Ricardo Mota da Costa

O cenário socioeconômico do Rio de Janeiro, do Brasil e o acirrado rearranjo geopolítico da economia mundial tipificam o momento de transformação que estamos vivendo, e ratificam o alinhamento do Direcionamento Estratégico do Sistema Comércio e Indústria do Brasil - CISBRA, visando sintonizar a atuação institucional de Câmara multilateral e multisetorial com os novos paradigmas do universo empresarial, em toda a cadeia produtiva do Comércio Exterior brasileiro.

Com o olhar analítico para os riscos de empreender num cenário de incertezas geradas pela estagnação da economia nos últimos anos, ancorada nos recordes de pedidos de falência, taxa de desemprego, corrupção, atrasos estruturais e instrumentais das políticas públicas fiscais, tributárias, sociais, etc., surge a percepção de oportunidades e de criação de soluções, no sentido de arquitetar um novo ambiente de negócios como caminho para superar a crise.

Há múltiplas possibilidades e oportunidades geradas a partir das reformas estruturais em curso nas instâncias dos Três Poderes, nos níveis Federal, Estadual e Municipal, sobretudo no Estado e na Cidade do Rio de Janeiro, que juntos com a iniciativa privada, têm um vasto e diversificado potencial para se organizarem com o aproveitamento do legado estrutural dos eventos esportivos que foram sediados – Pan/ParaPan 2007, Olimpíadas Militares, Copa das Confederações, Copa do Mundo de Futebol e Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016, com impacto direto na mobilidade urbana, na indústria do turismo e do lazer, conjugada à expansão da produção de petróleo e gás e o consequente fortalecimento do Polo da Indústria de Óleo e Gás fluminense.

Iniciativas das entidades de classe e do Poder Público caminham para a desburocratização na relação entre estado, municípios e o empreendedor, somadas a esforços para a divulgação internacional da marca “Rio”, a organização de um novo calendário de eventos lastreado na vocação histórica e cultural do Rio de Janeiro, a redução de impostos setoriais e outras iniciativas já colhem melhorias nos indicadores de geração de emprego e renda e no fortalecimento do Rio de Janeiro como um destino preferencial para negócio e lazer.

2020 se inicia com o otimismo apresentado pelos indicadores que demonstram o crescimento dos níveis de confiança do investidor na Economia Brasileira, frente aos incontestáveis números de retomada do crescimento da produção, do varejo e dos postos de trabalho em 2019.

Nossa crença no poder transformador da resiliência do Carioca, do Brasileiro e o olhar para o futuro fortaleceram a nossa convicção em somarmos esforços com a classe empresarial, instituições privadas e o Poder Público, para a retomada do crescimento socioeconômico com a criação de um ambiente de negócios favorável ao desenvolvimento sustentável do comércio de bens, indústria e serviços.

DIRETOR EXECUTIVO.jpg

MENSAGEM

DO DIRETOR EXECUTIVO

Mario Scangarelli

A importância que as Câmaras de Comércio e Indústria brasileiras (locais, regionais e nacional) vem progressivamente assumindo no campo das trocas internacionais tem sido ressaltada por artigos e comentários de revistas especializadas. Se, por um lado, prestam as Câmaras de Comercio incontáveis serviços à causa da exportação dos países industrializados, por outro, facilitam auxílios preciosos ao Brasil auxiliando aqueles que necessitam exportar. Como, por exemplo, as informações precisas sobre o mercado importador ao qual deseja-se conquistar clientes.

O sucesso das empresas exportadoras dos países desenvolvidos se deve em grande parte ao sofisticado sistema de coleta e análise de informações comerciais de que elas podem dispor. Por essa razão, as empresas brasileiras que decidiram tomar parte da batalha da exportação devem recorrer as Câmaras de Comércio para obter informações, oportunidades de negócios, estudos e análises de mercado.

As Câmaras são fontes de interesses de importadores estrangeiros nessa ou naquela linha de produtos. Essas entidades favorecem (além da “colocação” internacional da empresa) o aporte de conhecimentos e técnicas indispensáveis à prática do comercio externo: a gestão, o como fazer e o que fazer, normas e rotinas da exportação; ofertas e propostas comerciais; expedição e liberação de mercadorias; formalidade aduaneiras; regulamentos e legislação de exportações e importações. Papel a destacar, de aplicação prática, é o fornecimento

de dados e informações sobre mercados externos, a divulgação de oportunidades comerciais e a assessoria direta.

Os sucessos na exportação se traduzem pela conquista de mercados em caráter permanente, e melhor ainda, pela sua expansão, em área ou volume de negócios. Êxitos eventuais, exportações ocasionais não os identificam. Para ser bem sucedida é preciso que a investida aos mercados externos seja precedida por um criterioso trabalho de marketing. E, neste, a informação é fundamental.

Nesse quadro é que se afirmar a existência das Câmaras de Comercio e Indústria brasileiras com o foco no desenvolvimento econômico e sustentável do país, tratando-se de representação multilateral e multisetorial na defesa dos interesses das empresas que optaram por angariar novas oportunidades de negócios no exterior. Na vivência e convivência de interesses recíprocos aproximam-se comprador e vendedor, produto e mercado. É a sua voz no comércio exterior!

Faça parte de um Sistema Associativo focado prioritariamente no segmento de Comércio Exterior e que proporciona a sua comunidade empresarial um mundo de oportunidades à sua empresa.

Sua participação ajuda a garantir a continuidade de um trabalho que valoriza as empresas e os profissionais do comércio exterior e sua cadeia de serviços, resultando em desenvolvimento e promovendo ações socioeducativas e comerciais em todo o território fluminense.

VÍDEO INSTITUCIONAL